quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Que barulho coruja faz?

Há pouco mais de um ano eu faço estágio da Unicamp. Desço a pé para o trabalho, pois moro pertinho, pertinho... E há não-sei-exatamente-quantos meses comecei a reparar que, poxa, tem coruja pra caramba na Unicamp! Foi bem na época em que coruja entrou na moda - era camiseta de coruja, colar de coruja, brinco de coruja, anel de coruja pra todos os lados. As duas coisas juntas, eu acho, me despertaram a curiosidade pelo bicho e andei pesquisando sobre.
O que eu descobri: algumas corujas fazem ninho num buraco no chão. Sabia dessa? No caminho para o estágio eu passo por uns três ninhos. A cada ninhada, segundo algum site que achei no google, nascem de três a cinco filhotes. O primeiro ninho pelo qual passo abrigou nesses meses atrás cinco corujinhas. Nessa época achei que tinha descoberto a origem da expressão "mãe coruja", porque a suposta coruja mãe ficava vigiando o ninho de cima de uma cerca, me encarando todos os dias. Então eu descobri que, na verdade, quem vigia o ninho e cuida dos filhotes é o pai, olha só! E, ah, uma coisa que talvez todo mundo saiba: corujas são aves de rapina, assim como gaviões, falcões, águias... ótimas caçadoras.
Ok, eu vejo corujas todos os dias há meses - por que resolvi escrever sobre isso agora? Porque, meus caros leitores, eu achei a minha vida toda que coruja fazia "ho-ho-hoo". E descobri, um ou dois fins de semana atrás, que o barulho que eu ouvia, sempre julgando ser de uma coruja, era de pombos! Inconformada, fui pesquisar sobre o canto das corujas. Não descobri grandes coisas. Aparentemente, cada espécie tem um canto diferente; e, aparentemente, a que vive na Unicamp, chamada de coruja-buraqueira, tem esse canto aqui.
Decepcionei.

=(

Nenhum comentário:

Postar um comentário